26.11.13

tenho saudades vossas. tenho saudades de mim.



fotos de meiomaio


As palavras, essas deixo-as a quem melhor que ninguém as escreve e que numa triste sintonia escreveu aquilo que eu não fui capaz de dizer:

"é de coração que somos feitos

Não. Não tenho fotografias para mostrar.
Não. Não tenho quase palavras para escrever.
Há mais de um mês que a máquina, a das fotografias, está parada em cima da cómoda. Consigo ver o pó daqui, não me mexo sequer, todo esse movimento me parece impossível agora.
Há trinta e oito dias, se levarmos isto dos preciosismos muito a peito, há trinta e oito dias que a Terra deixou de rodar na sua perfeita rota natural. O mundo parou por instantes, e com ele as fotografias, as palavras, os projectos que tinha nas mãos, parou o sono, pararam as horas, parou o descanso. O ar rarefeito, o céu em stand-by.
Quase que não me recordo de como era não estar preocupada, do doce travo do lugar seguro, quase que não me recordo de não ter o coração na mão esquerda, laivos de optimismo na direita. As duas juntas não fazem o sol.
E eu tenho, temos, tantas saudades do sol, do sol e do outono que não tivemos, do amarelo e do castanho que não apreciamos daquele banco do jardim. Do primeiro frio na cara que não sentimos, da marmelada que não fizemos, das castanhas que não fomos apanhar. De tudo e tudo que estes trinta e oito dias nos tiraram.
Tenho igualmente saudades das minhas fotografias que tantas e tantas vezes me devolveram a calma necessária  e que, desta vez, não passam de um subterfúgio para o qual não tenho tempo. Eu disse que o mundo parou? É verdade, a mais cruel das verdades.
Acredito, com todo o meu coração porque é de coração que somos feitos, acredito no lugar-comum dos lugares-comuns, acredito no tudo vai melhorar. Tudo vai melhorar e estes dias serão nada mais que uma miragem longínqua de uma má jornada de outono. Repito, repito, repito...
Aquele outono, quando as folhas caíram e ninguém estava lá para dizer como eram bonitas."

Texto do a midnight in buenos aires, um daqueles sítios onde tudo é tão especial. Obrigada Rita ♥


Para mim, até hoje, foram cinquenta e dois longos dias de um estranho Outono que parece que não aconteceu.
Mas tenho saudades de vocês, da partilha e do que de mim se perdeu. Porque apesar de tudo há sempre coisas bonitas. E eu preciso tanto delas.
_

Os echo de menos y me echo de menos a mi también.
Las palabras las dejo a quien las escribe mejor que nadie y que en una triste sintonía escribió lo que yo no fue capaz de decir.
Para mí, hasta hoy, han sido cincuenta y dos largos días de un extraño otoño que parece que no ha existido.
Pero os echo de menos, echo de menos a lo que compartimos y a lo que se ha perdido de mí. Porque a pesar de todo hay siempre cosas bonitas. Y yo necesito tanto de esa belleza.

27 comentários:

  1. Que te esperem no futuro alegrias com a mesma beleza desta tristeza. *lágrima*

    ResponderEliminar
  2. A lágrima foi inevitável, e revejo-me, estranhamente, em tudo o que disseste. Que esta estranha sintonia acabe, que possamos simplesmente estar em sintonia nas coisas bonitas, daquelas que tu tão bem sabes mostrar. E que este outono estranho, dê lugar a um inverno maravilhoso.
    Um beijinho muito grande Ana, e obrigado, por todas as coisas bonitas. ♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ohh, eu é que agradeço ♥ (e sim, as coisas bonitas vão chegar para nós as duas)

      Eliminar
  3. Não queria juntar palavras, apenas um sorriso e braços abertos, para te receber. Mas junto:

    Que os dias recomecem na cadência que o bater do coração permitir. Que sejam brandos e justos e tudo o resto será um dia passado, arrumado num futuro com perfume de roupa lavada e estendida, a chamar por um sol brando que a seque, no imenso estendal que é a vida.

    Bem vinda! ❤


    p.s e sim, lindo este texto. dela, tão especial.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. que palavras tão bonitas as tuas também ♥ muito, muito obrigada.

      Eliminar
  4. Oh querida Ana um grande grande abraço para ti
    Espero que em breve te sintas melhor e o que quer que seja que te causa esta tristeza passe e que, tal como a Rita escreveu e de uma forma tão bonita, que "estes dias serão nada mais que uma miragem longínqua de uma má jornada de outono. "
    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada! (sim, pouco a pouco vão-se tornado nessa miragem longínqua) um beijinho*

      Eliminar
  5. Fiquei sem palavras, perante estas palavras tão bonitas, de ambas. Também tenho muitas saudades e espero que volte rapidamente para si e para nós, porque precisamos de ver as coisas bonitas que vê através dos seus olhos. Um grande beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim, eu vou voltar, afinal, já voltei ;)**

      Eliminar
  6. Rega... rega com água pura, da nascente, da chuva ou do mar ... e renasce, renasce em ti o olhar, a flor, a cor, o sentir... e um dia ao acordar verás que tudo esteve sempre lá... Verás com esses olhos que queres ver e que afinal, são os teus!
    Abraço, abraço, abraço-te
    Paula

    ResponderEliminar
  7. Sim é de coração que somo feitos e por isso olha em volta, escuta e vê quantos dizem contigo "as folha são bonitas!"....
    Paula

    ResponderEliminar
  8. Bienvenida Ana, qué alegría ver que has decidido volver por aquí, se te echaba de menos :)

    ResponderEliminar
  9. Fiquei emocionada.
    Também eu já tenho imensas saudades tuas, passo aqui quase diariamente em busca de novidades.
    Dias melhores virão, certamente.
    Um abraço apertado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muito obrigada! sim, acredito que os dias piores já passaram e que os que se seguem serão certamente melhores. um grande beijinho*

      Eliminar
  10. Ana, é sempre bom ler-te!
    Deixo-te aqui este poema...

    "Recomeça....
    Se puderes
    Sem angústia
    E sem pressa.
    E os passos que deres,
    Nesse caminho duro
    Do futuro
    Dá-os em liberdade.
    Enquanto não alcances
    Não descanses.
    De nenhum fruto queiras só metade.

    E, nunca saciado,
    Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
    Sempre a sonhar e vendo
    O logro da aventura.
    És homem, não te esqueças!
    Só é tua a loucura
    Onde, com lucidez, te reconheças..."
    Miguel Torga

    Um beijinho! Gina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ohh, muito obrigada pelo poema tão bonito, adorei! ♥
      beijinho*

      Eliminar
  11. Las palabras de Rita son tristes pero preciosas. Ojalá vuelvas por aquí porque significará que este otoño raro habrá terminado y tú y tu mundo estaréis mejor de nuevo.
    Eu também tenho saudades tuas*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sí, al final ya he vuelto y tengo muchas ganas de estar aquí. poco a poco yo y mi mundo nos vamos reencontrando :)
      un gran besito Lorena*

      Eliminar
  12. Acreditar que tudo vai melhorar é meio caminho andado... torço para que os dias melhores não demorem muito! Um beijinho, tenho saudades daqui passar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muito obrigada por todo o apoio Adriana! (os dias pouco a pouco vão-se tornado melhores)
      um grande, grande beijinho*

      Eliminar
  13. Fica o texto lindo e eu apenas deixo um largo abraço, quente e de saudades.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  14. Olá! há tanto tempo que te esperava, e agora distrai-me um pouco.
    Pareces um passarinho ferido, mas com tanta gente tão simpática e a dar-te tanto apoio vais voar outra vez rapidamente. Tudo o que li me sensibilizou muito, mas a vida é feita destes episódios, e sem dor não saberíamos dar o valor à felicidade, que é, afinal, o que todos procuramos. Oxalá te possa ver um dia destes em que já não tenhas saudades de ti.
    Um grande beijinho carinhoso.
    m

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muito obrigada pelas palavras ♥
      um beijinho.

      Eliminar