18.11.19

o fim da terra




.

"O vazio e o cheio ao mesmo tempo. A imensidão. O tudo e o nada. Tanto que se vê que se perde de vista. Tanto azul.
O silêncio e o som das ondas e do vento. O que se vê e o tanto mais que não se vê. A calma. A profundidade. A superfície.
Ar, água e terra. A solidão. A introspecção. Tanto e tão pouco. Quando tudo se une.
(...)
Fecho os olhos, respiro fundo e quero levar comigo todo este azul."

Finisterra, Galiza

Sem comentários:

Publicar um comentário