27.11.16

volver

Foi um caos chegar ali, onde partia o barco. Tudo era um caos de estradas (que pareciam não levar a lado nenhum), de sinais, de caminhos. Tudo em obras, ou então estranhamente abandonado. Naquele momento ainda não sabia que era a metáfora perfeita de como estaria a minha mente depois de chegar. Ainda estava ali, ainda não o conseguia assimilar, nem pensar em nada. Ali ainda só podia viver aquele caos de estradas. E o céu negro, tão negro. E o sol, que de repente apareceu com uma luz laranja-forte para nos dar a sua última despedida daqueles lados do Mediterrâneo. E mais que isso. Um arco-íris sobre nós. Um arco-íris sobre todo aquele caos inóspito, abandonado, quase desolador. Não, não era por acaso.








.


Depois o barco. A noite. O porto. Toda aquela imponência e frieza industrial dos portos. Tanto aço, tão duro, tão frio. E a ferrugem. (porque tem tudo isto ao mesmo tempo algo de encantador?)
Vinte horas ali, sobre o mar. Dormir no chão ao ritmo da trepidação do motor. E acordar naturalmente de madrugada com o pensamento “tenho de ir ver o nascer-do-sol”. Subir até à ponta mais alta do barco e vê-lo dali, com aquele ar frio e húmido na cara (há momentos em que estamos tão conectados).
Todo o dia. Mar a toda a volta.









.


Já quando tudo se pintava de azul, ao longe começava a aparecer, como uma miragem, como um sonho, tão etérea: Barcelona. E pouco a pouco a miragem foi-se tornando mais real. Os perfis (tão familiares) que delineiam aquela cidade foram-se tornando mais definidos. E foi como lentamente acordar de um sonho. Um sonho de uma viagem de seis meses, numa carrinha, por todo o sul da Europa, até à Grécia.





fotos de meiomaio


.
Em busca de beleza.

entre Livorno e Barcelona, pelas águas do Mediterrânio

24.11.16

dos tesouros, dos momentos

Outro sítio mágico encontrei-o em Siena. Mas fora das praças pomposas e longe das imponentes catedrais.
Sim, aquela era uma cidade lindíssima. Mas o tesouro encontrei-o onde menos esperava (não é sempre assim?).













fotos de meiomaio


Era final de tarde e fui dar uma volta sozinha. Meti-me pelas ruas mais pequenas, humildes e por onde não passava ninguém. As ruas mais esquecidas. E de repente, um pequeno jardim, cheio de recantos onde as cores e as formas jogaram com a luz com uma harmonia incrível. Era a luz azul, o verde de fundo e o contraste com os tons quentes das pétalas daquelas flores de outono. Tanta, tanta beleza ali naquele momento (ou era dos meus olhos?).

Siena, Itália

22.11.16

como uma bomba prestes a explodir

Era uma aldeia pequena no meio de montanhas, com todo o aspecto de um sítio pacato, mas naqueles dias um enorme frenesim habitava aquelas ruas. Foi chegar e já se sentia a inquietação no ar, como uma bomba prestes a explodir. E tudo foi aumentando de dia para dia.
Amontoados de gente, de lá, de fora, de onde fosse. Vendedores de comida, vendedores de roupas tradicionais, vendedores de artigos religiosos, vendedores de símbolos da guerra, que com as suas barracas se iam espalhando pelas ruas. Carne, muita carne de porco por todo o lado enchia o ar de um cheiro pesado e gorduroso que se pegava a tudo. Gritos de euforia, cantos tradicionais, gritos nacionalistas e sempre, como uma música de fundo que não parava, os estridentes gritos dos trompetes cortavam tudo como facas afiadas que eram lançadas de todas as direcções. E era impossível não ser levado por esta onda de sensações (tão contraditórias como intensas) que nos inundava o corpo e nos fazia dançar efusivamente ao som daqueles ritmos balcânicos.
















fotos de meiomaio



.
Guča, Sérvia

18.11.16

com a perfeição de uma pintura bucólica










fotos de meiomaio


.
Naquelas terras, todos os tons de dourado que possamos imaginar. Naquelas terras, todas as curvas, tão suaves, tão delicadas, delineavam os perfis das paisagens com a perfeição de uma pintura bucólica. Naquelas terras tudo era como um grande postal, daqueles de beleza clássica, quase antiquada. Mas que nos encantavam a alma à medida que percorríamos as estradas da bella Toscana.

dos caminhos perto de Pienza, Toscana, Itália